O be-a-bá dos Fundos de Investimento

Imagine que você tenha algum dinheiro para investir, que gostaria de ter uma carteira diversificada, mas não tem experiência nemconhecimento para fazer isso.

Imagine que existam profissionais especializados em gerircarteiras de investimento de outras pessoas, mas que, obviamente, cobram porisso um valor que você não pode pagar.

Imagine que você encontre várias outras pessoas na mesmasituação que você e uma delas tenha a ideia de juntar o dinheiro de todo mundoe contratar um desses profissionais para fazer os investimentos por vocês.

Isso existe. São os chamados “Fundos de Investimento”. Mas como funciona na prática?

COTAS

Todo Fundo é dividido em cotas. Cada cota possui seu valorem Reais e o investidor deve comprar o número de cotas que tiver interesse. Damesma forma que no Tesouro Direto, é possível comprar frações das cotas e fazero investimento de valores redondos, como R$ 1.000,00, R$ 5.000,00, por ex.

Os investidores do Fundo são chamados “cotistas”.

Os rendimentos e taxas são sempre proporcionais às cotas quevocê possui. Funciona como num condomínio, em que as despesas são dividasproporcionalmente em relação à metragem dos apartamentos.

O valor de cada cota muda diariamente conforme a variaçãodos investimentos realizados pelo Gestor do Fundo. O número de cotas que cadainvestidor possui não se altera, ao menos que ele compre mais cotas ou façaresgates (também pode haver alteração em virtude do Imposto de Renda, conformeveremos a seguir).

GESTOR E ADMINISTRADOR

São chamados “administradores” os responsáveis legais peloFundo perante os órgãos reguladores (CVM e Banco Central) e “gestores” osprofissionais credenciados perante a CVM responsáveis pela estratégia dosinvestimentos, ou seja, pela escolha dos ativos que comporão a “carteira” doFundo.

Cada Fundo deve possuir um CNPJ próprio, a fim de não confundirseu patrimônio com o do administrador ou gestor. Isto também possibilita que hajamais de um Fundo sob a administração da mesma instituição ou mesmo gestor.

TAXAS E BENCHMARK

Todos os Fundos cobram taxa de administração, já que elacorresponde à remuneração dos administradores pelo seu trabalho.

Fique atento a esta taxa, pois geralmente os Fundos administrados por grandes bancos cobram percentuais altos.

Na minha opinião, a taxa de administração tolerável é de, no máximo, 2% (dois por cento). A depender da estratégia do Fundo, este percentual ainda se mostra alto, mas sobre isto conversaremos nos próximos posts.

Benchmark é a meta de rentabilidade que um Fundo desejaobter. Geralmente, é o CDI, mas pode ser o Ibovespa, a Selic, ou outroparadigma.

Alguns Fundos cobram taxa de performance, ou seja, umpercentual sobre o que conseguirem exceder ao benchmark.

A maioria dos Fundos adota o esquema 2/20, isto é, a cobrança de taxa de administração de 2% do valor depositado por ano e 20% do lucro nominal que exceder o benchmark.

IMPOSTO DE RENDA

O Fundo é isento de Imposto de Renda sobre os ganhos que acumula, mas o cotista deve pagar o imposto sobre os rendimentos que obtém.

Assim, a cada seis meses (no último dia útil de maio e novembro), o Governo recolhe, ANTECIPADAMENTE, uma parte do imposto de renda sobre os seus ganhos, é o chamado come-cotas. O nome refere-se à diminuição das cotas do investidor após o pagamento do tributo.

O valor é debitado diretamente do Fundo, portanto não é preciso que o cotista faça o pagamento de nenhuma DARF. Quando houver o resgate do valor total investido, haverá o abatimento do imposto que já foi pago antecipadamente.

A alíquota obedece à tabela regressiva, ou seja, vai diminuindo conforme o prazo de permanência de cada aplicação no Fundo. Há variações dependendo da classificação do Fundo (se é de longo prazo ou de curto prazo), conforme a seguinte tabela:

COTIZAÇÃO E RESGATE

Quando for investir em um Fundo, observe o prazo de cotização e de resgate.

O prazo de cotização é aquele em que a cota estarádisponível pra você e o de resgate é aquele em que seu dinheiro estarádisponível pra você quando quiser sair do Fundo.

Esses prazos sempre vem representados da seguinte maneira:D+1, D+3, D+30, etc. Ou seja, o dia do investimento (“D”) mais tantos dias depois.Exemplo: se o resgate do seu Fundo é D+3 e você o solicitá-lo no dia 21.01.2019, terá o dinheiro disponível no dia 24.01.2019.

CLASSIFICAÇÃO

A CVM classifica os Fundos em: Fundo de Curto Prazo, Fundo Referenciado, Fundo de Renda Fixa, Fundo de Ações, Fundo Cambial, Fundo de Dívida Externa, Fundo Multimercado, Fundos Mistos e Fundos de Fundos. Ufa!

Sobre estas espécies, comentaremos nos próximos posts 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s