Reserva de emergência

O primeiro passo para quem quer começar a equilibrar seu orçamento doméstico, começar a investir e buscar a independência financeira é formar a sua “reserva de emergência”.

Esse tema, apesar de bastante comentado pelos especialistas em finanças, representa uma descoberta para aqueles que estão dando os primeiros passos no mundo das finanças.

A reserva de emergência nada mais é que um valor que você deve possuir, facilmente acessível embora aplicado, que te possibilite superar um sério comprometimento das suas finanças, seja em virtude de uma grave diminuição de receitas ou para cobrir altas despesas inesperadas,

Eu vejo a reserva como a fundação, os alicerces de uma construção. Se ela não for bem realizada, pode fazer o prédio todo ruir.

Pra mim, a principal vantagem da reserva é trazer tranquilidade, afastar vulnerabildades. É passar por momentos difíceis sem ter que se preocupar onde conseguir dinheiro ou ter que assumir compromissos em meio à pressão. Há momentos em que a última coisa que você quer pensar é em dinheiro./banco/empréstimos, etc.

Para algumas pessoas, essa reserva proporciona segurança, inclusive, para mudar de emprego, de cidade, ou seja, para assumir significativas reviravoltas em sua vida, correspondendo, na verdade, à liberdade de não se prender a situações insatisfatórias.

QUAL O TAMANHO DA RESERVA?

Há certo consenso no valor mínimo da reserva, equivalente a 6 vezes o valor das suas despesas mensais.

Para aqueles que não possuem rendimentos estáveis, o valor da reserva deve se aproximar de 12 vezes o valor de suas despesas mensais.

ONDE “GUARDAR”?

Como você deve imaginar, sua reserva deve ficar “guardada” em um local seguro e de fácil e imediato acesso (resgate). Não seria legal ter essa quantia em ações ou títulos que tenham seu valor oscilando no mercado diariamente, pois, em caso de necessidade, você poderia ter que se submeter a um valor não justo no resgate.

Também é importante que sua reserva esteja investida a ponto de lhe assegurar, ao menos, rendimentos semelhantes à inflação, te protegendo da desvalorização do dinheiro com o passar do tempo.

Por isso, especialistas recomendam que a reserva de emergência seja colocada em Tesouro Selic ou em CDB´s de liquidez diária (para serem interessantes, a meu ver, devem render a partir de 100% do CDI).

Formada sua reserva, você pode passar para o próximo passo: fazer alocações em ativos mais rentáveis, voláteis e com um grau superior de risco.

Até o próximo post 😉

2 comentários em “Reserva de emergência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s